Páginas

quarta-feira, 17 de junho de 2009

A EXEGESE E A HERMENÊUTICA DA TATUAGEM

Por Rev. Manoel do Carmo FilhoA tatuagem assim como a edificação de cidades, a música e a indústria, são subprodutos do contexto secular pós-queda “Caim teve relações com sua mulher, e ela engravidou e deu à luz Enoque. Depois Caim fundou uma cidade, à qual deu o nome do seu filho Enoque” (Gn 4:17). “O nome do irmão dele era Jubal, que foi o pai de todos os que tocam harpa e flauta” (Gn 4:21). “Zilá também deu à luz um filho, chamado Tubalcaim, que fabricava todo tipo de ferramentas de bronze e de ferro e Tubalcaim teve uma irmã chamada Naamá” (Gn 4:22).Embora a arte, o belo, a música, a arquitetura e o domínio da matéria tenham sua fonte exclusiva em Deus e em seu mandato cultural. “Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação” (Tg 1:17). “E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra” (Gn 1:28).
As nações pagãs utilizavam a escarnificação, o dilacerar a carne, como meios ritualísticos relacionados aos mortos. “Não façam cortes no corpo por causa dos mortos, nem tatuagens em si mesmos. Eu sou o SENHOR” (Lv 19:28). “Vocês são os filhos do SENHOR, o seu Deus. Não façam cortes no corpo nem rapem a frente da cabeça por causa dos mortos” (Dt 14:1) “Então passaram a gritar ainda mais alto e a ferir-se com espadas e lanças, de acordo com o costume deles, até sangrarem” (IRs 18:28). “Tanto grandes como pequenos morrerão nesta terra; não serão sepultados nem se pranteará por eles; não se farão incisões nem se rapará a cabeça por causa deles” (Jr 16:6). Por essa razão o Povo de Deus deveria manter a santidade, não devendo assim se marcar para não se assemelhar aos costumes religiosos dos povos ao redor.Fazendo uma análise exegética mais profunda, acho desleal, traduzir o texto de Levítico dezenove como sendo tatuagem (a exemplo da NVI). As palavras do texto do verso 28 são: não façam (nathan) sareteth, incisão, corte, talho, na vossa carne pelos mortos, nem fareis (nathan) qa’aqa kethobeth, incisão, corte, marca feita a ferro em brasa sobre vós. O texto aqui se refere claramente a escarnificação, rasgar ou lacerar a carne, com o intuito de agradar aos deuses, ritual feito por inúmeras religiões pagãs, à semelhança dos profetas de Baal “Então passaram a gritar ainda mais alto e a ferir-se com espadas e lanças, de acordo com o costume deles até sangrarem” (IRs18:28) e de alguns rituais afro brasileiros.

DEUS TEM SUAS MARCAS PERMANENTES

Vejamos agora os textos de “E a glória do Deus de Israel, levantou-se de cima do querubim, onde havia estado, e se moveu para a entrada do templo. E o Senhor chamou o homem vestido de linho e que tinha o estojo de escrevente à cintura e lhe disse: percorra a cidade de Jerusalém e ponha um sinal na testa daqueles que suspiram e gemem por causa de todas as práticas repugnantes que são feitas nela.” (Ez 9:3-4); “Da fumaça saíram gafanhotos que vieram sobre a terra, e lhes foi dado poder como o dos escorpiões da terra.Eles receberam ordens para causar dano nem a relva da terra, nem a qualquer planta ou árvore, mas apenas àqueles que não tinham o selo de Deus na terra (Ap 9:3-4)”. No primeiro, Um homem vestido de vestes talares portando um estojo de escriba na cintura, aplica uma marca (esboço, rabisco) permanente ou um selo indelével sobre a testa dos escolhidos de Deus (os que suspiram e que gemem por causa das abominações feitas em Jerusalém) para diferenciá-los afim de que não fossem mortos. No texto de Ezequiel curiosamente, o desenho dessa “tatuagem” é um tav, letra hebraica que tem a forma de uma cruz (a Bíblia de Jerusalém traduz a palavra como cruz).
Já o texto de Apocalipse bem parecido com o primeiro, demônios com aparência de gafanhotos ferroam os homens e os atormentam, mas não causam dano algum àqueles que possuem o selo de Deus na fronte (testa).Deus parece que se torna o primeiro “tatuador” quando faz uma marca indelével no corpo de Caim “E o Senhor colocou em Caim um sinal, para que ninguém que viesse a encontrá-lo o matasse”.(Gn 4:15B) que o protegia por onde quer que andasse.
O comentário da Bíblia de Jerusalém é que esse sinal não é um estigma infamante (stigma vocábulo grego oriundo de uma palavra primária stizo, "fincar", ferrar, marcar com instrumento pontiagudo, tatuar, furar, um sinal perfurado ou marcado "a ferro e fogo" no corpo), mas uma marca que o protegeria, designando-o como membro de um clã especifico.
Isaías fala que Deus “tatuou” uma marca indelével na palma de Suas mãos com o nome e Seus filhos “Veja, eu gravei você nas palmas das minhas mãos”.(Is 49:16a).
Paulo também faz menção a uma espécie de tatuagem quando nos compara a cartas vivas escritas com um tipo de tinta permanente que é marcada para sempre em nosso corações pelo Espírito Santo “Vocês demonstram que são cartas vivas de Cristo, resultado do nosso ministério, escrita não com tinta, mas com o Espírito do deus vivo, não em tábuas de pedras, mas em tábuas de corações humanos”. (II Co 3:3), e ele, Paulo, declara que carrega no corpo as marcas de Cristo (Gl 6:17) De acordo com o antigo costume oriental, escravos e soldados levavam o nome ou o sinal de seu mestre ou comandante marcado ou perfurado (cortado) em seus corpos para indicar a que mestre ou general eles pertenciam. Alguns devotos marcavam a si mesmos desta forma com o símbolo de seus deuses (Strong). Os stigmatias eram criminosos de guerra estigmatizados ou tatuados com uma marca na testa. Soldados recrutados no exército romano recebiam uma tatuagem na forma do nome abreviado do imperador na mão.
Se Deus proíbe o uso de tatuagens, certamente o Espírito Santo não permitiria que o escritor sagrado utilizasse essa palavra tão comprometida com a aplicação de furos na carne e de marcas carimbadas à ferro em brasa na pele humana.No contexto de Lv 19:27 e 28, quando Deus proíbe fazer marcas no corpo, ou ferir a pele, está se referindo a um ato que está diretamente ligado à rituais pagãos e a cerimoniais de culto aos mortos. Interessante que o mesmo texto que proíbe marcar a pele é o que proíbe também cortar o cabelo, raspar a barba ou apará-la, a fim de se atender ao alto padrão de santidade, para não agredir o corpo que deveria ser perfeito, sem defeitos físicos, sem manchas, sem deformação alguma, atos esses, aparentemente simples e inocentes, mas que se tornam igualmente proibitivos por serem também um tipo de mutilação, mesmo que seja em escala menor, por provocarem centenas de pequenos cortes dilacerando minúsculos vasos do rosto e do pescoço.Então, ao usar hoje esse texto do Antigo Testamento, muitos caem em desobediência pelo fato inocente de raspar a barba para se apresentar em um emprego, cortar o cabelo ou raspa a cabeça em comemoração por ter passado no vestibular. Ao contrário, se formos nos ligar as leis cerimoniais do Antigo Testamento, quanto maior a consagração, maior terá que ser o tamanho do cabelo e da barba, conforme a consagração dos nazireus e dos sacerdotes (Lv 21:5; Jz 6:5; 13:5; 16:17; I Sm 1:11). Mas nós sabemos que esses detalhes da lei cerimonial do Antigo Testamento não são pertinentes para os dias de hoje, para os que vivem pela graça e debaixo das orientações do Novo Testamento.Sandro Baggio diz que os que não aceitam a tatuagem e se arrimam no texto de Levítico 19:28, também teriam que ser automaticamente proibidos de comer carne de coelho, porco, camarão, lagosta, ostras, e moluscos, misturar raças de gado, misturar linho com lã, raspar ou aparar a barba (Lv 11:6-7; 11:10-12; 19:19e27). Então, se você alguma vez comeu um sanduíche de porco, comeu lagosta, aparou a barba, usou uma roupa de linho forrada com lã – ou fez uma tatuagem, você é culpado sobre a lei! Fala-se muito sobre aplicar tatuagens ou colocar piercings, mas nada se diz sobre alterações do corpo que passam imperceptíveis, das jovens e senhoras que abusam colocando silicone nos seios e em outras partes do corpo, das que fazem lipoaspiração ou qualquer tipo de plástica modificando partes do corpo. Esses tipos de alteração do corpo são tolerados, mas quando se trata de piercings e tatuagens... aí a coisa é diferente!

O QUE REALMENTE INTERESSA A DEUS

De acordo com as Escrituras Sagradas, Deus está mais interessado nas motivações interiores dos indivíduos do que em usos e costumes, em seus atos ou aparências externos “O Senhor, contudo, disse a Samuel: ‘Não considere sua aparência nem sua altura, pois eu o rejeitei. O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor Vê o coração”. (I Sm16:7)”. Entendo que hoje, o uso de tatuagem está diretamente ligado à motivação interior de quem a aplica. Em nosso tempo, por causa da globalização, jovens e adolescentes se tatuam com desenhos específicos por motivo de sua filosofia de vida, ideologias ou crenças (caveiras, fadas, motivos que fazem alusão à violência, mulheres nuas, demônios horrendos). Outros, porém, se tatuam não por motivos ritualísticos ou religiosos, mas por estilo, por arte, pela beleza da gravura, como uma ilustração decorativa ou mesmo como ponte de evangelização, usando desenhos ligados a temas evangélicos.Se a tatuagem começa num contexto secular, (como certos costumes e palavras que começaram num contexto mundano e que foram purificando com o passar do tempo e hoje são naturalmente usadas sem questionamento, a exemplo do soltar fogos de artifício em celebrações, quando a pólvora foi descoberta pelos chineses com finalidade de exorcizar os maus espíritos, ou o uso da palavra coitado que originalmente tem seu sentido em coito, quando os senhores de engenho acoitavam as meninas que entravam na fase adulta) cabe a nós resgatar a tatuagem de seu contexto secular e usá-la para a glória de Deus.
Entendo que nosso ensino na Igreja, e penso que essa é a opinião de Deus, deva ser direcionado ao uso do equilíbrio, ao bom senso e à consciência cristã de cada um. Não somente relacionado a piercings e tatuagens, mas à maneira de vestir, fazer plásticas, à moderação no comer (o que tem de crente caindo no pecado da gula!), no tomar coca-cola, no lazer, em dormir, nos jogos eletrônicos, em ouvir música, nas dietas, na malhação, no futebol, em notícias, enfim, Deus nos chama a uma vida de equilíbrio e moderação em todos os seguimentos da vida “Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o senhor”.(Fl 4:5); “Porque Deus não nos deu espírito de timidez, mas de poder, de amor e de moderação”. (II Tm 1:7). E isso Deus leva muito a sério!

A ORIGEM DO PRECONCEITO

O preconceito contra a tatuagem tem sua origem na Idade Média, quando a Inquisição perseguia brutalmente, prendia e queimava na fogueira qualquer pessoa que portasse uma cicatriz, marcas de nascença, mancha na pele, uma deformação física qualquer, desenho ou tatuagem, sendo acusada de bruxaria e de ter pacto com o demônio. Hoje em dia, os reflexos dessa perseguição religiosa se revelam na perseguição social, onde o preconceito faz com que as pessoas que se tatuam sejam discriminadas e sejam vistas como nocivas à sociedade.
No entanto, esse pensamento tem mudado nos últimos tempos, quando hoje se vê pessoas de faixas etárias diferentes, de variadas profissões e classes sociais diversificadas como artistas, designers, executivos, publicitários e cristãos sinceros de todos os níveis portando tatuagens.Infelizmente, a história tem mostrado que a Igreja, que ao se propor a ser uma contra-cultura através das eras, e que deveria estar acima dos padrões, valores e ideologias da sociedade, no entanto, tem se curvado às tendências políticas e às imposições que a sociedade impõe, deixando-se desfigurar e perder a força de seu desiderato profético, se tornando conivente e absolutamente omissa diante de aberrações cometidas por líderes megalomaníacos, de injustiças sociais e atrocidades impetradas por regimes totalitaristas como foi o caso do nazismo na Alemanha e Itália, do racismo nos Estados Unidos, e do regime militar no Brasil. E é com pesar se pensar que a igreja evangélica tenha herdado do catolicismo romano o preconceito contra a tatuagem perpetuada na idade média, e hoje mantenha esse preconceito contra o uso de tatuagem e contra quem quer que seja diferente do padrão burguês que a sociedade impôs à igreja e lamentavelmente ela aceitou, ficando amarrada à camisa de força do preconceito que drena o amor e represa sua ação diante do mundo.

TATUAGEM À SERVIÇO DO REINO

Existem vários ministérios direcionado as tribos urbanas que visam a conversão dos undergrounds e usam a tatuagem como gancho de evangelismo, tais como: A Caverna de Adulão, Ministério Bola de Neve, Base Avalanche, Ministério Ágape, Comunidade Sal da Terra, Comunidade S8, Movimento Gerações Emergentes da AD2010, Tribal Generartion, Survivor, o ministério CTA (Christian Tatoo Association) que é liderado por tatuadores cristãos e utilizam a tatuagem como ponte de evangelização. A CTA tem os seguintes propósitos:
1. Pregar o Evangelho para artistas tatuadores e entusiastas através de impressos, testemunho pessoal, workshops e promover encontros com grupos pequenos em eventos locais e convenções nacionais.
2. Promover saúde e assuntos de segurança no campo da tatuagem e encorajar estandartes morais e profissionais na indústria das tatuagens. Mas seu objetivo principal é pregar o Evangelho àqueles no mundo da tatuagem primariamente através de evangelismo pessoal.
Tradicional ( de marinheiro): São aqueles desenhos tradicionais, como uma Âncora ou uma gaivota, aliás, os marinheiros foram os grandes divulgadores da tatuagem pelo mundo.
Sumi: Técnica oriental que utiliza bambu ao invés de agulha. Geralmente os desenhos
são ricos em detalhes.
Realista: Desenhos que imitam o mundo real, como mulheres, pássaros e personalidades.
Comics: Desenhos inspirados nas histórias em quadrinhos, tanto de personagens complexos dos super heróis como os infantis da Disney e a variedades que caracteriza esse mundo.
Estilizada: Como o próprio nome já diz, são desenhos estilizados.
Alto relevo: Muito difundida entre os índios. A pele é dissecada formando desenhos com uma infinidade de cores, praticada principalmente por aborígenes, de origem africana.
Belfaro Pigmentação: A maquiagem definitiva, como delineador, batom, etc.
Celta: Desenhos de origem celta com figuras entrelaçadas. Pode ser preta ou colorida.
Tribal: Desenhos em preto ou coloridos com motivos tribais. Podem ser desenhos de tribos norte-americanas, haidas, maias, incas, astecas, geométricas ou abstratas.
Oriental: Trabalhos grandes, geralmente de corpo inteiro, como um painel. Os desenhos são com motivos orientais, como samurais, gueixas e dragões.
Psicodélicas: Trabalhos supercoloridos com desenhos totalmente senseless.
Religiosas: Trabalhos com personagens bíblicos, como um santo, uma cruz, etc.
Bold line: Desenhos das histórias em quadrinhos com traços bem largos e cores berrantes.
Branding: marcada a ferro e fogo.

COMO DEVEM SER FEITAS

As tatuagens são feitas com pigmentos importados de origem mineral, principalmente, e com agulhas específicas para tatuar, sempre descartável e nunca reutilizada (mesmo que seja na própria pessoa). As máquinas elétricas, preferencialmente, devem ter a ponteira de aço inox cirúrgico e/ou descartáveis, devem ser limpas por ultra som e esterilizadas com estufa a uma temperatura igual ou superior à 170 º C por um período de pelo menos 3 horas.
Os aparelhos de barbear utilizados para depilar o local da tatuagem não devem ser reaproveitados. O tatuador deve usar luvas e máscara para procedimentos, para evitar uma possível infecção ou até a contaminação por doenças como hepatite, AIDS, tuberculose, esporos patogênicos, bactérias e fungos.
A limpeza do ambiente é fundamental a fim de se evitar a contaminação cruzada. A arte é conseqüência de tudo que o tatuador aprendeu durante anos, este, deve ter pelo menos, a experiência de 5 anos.

RECOMENDAÇÕES PARA QUEM QUER APLICAR TATUAGEM

1. Peça autorização e permissão de seus pais.
2. Converse com o pastor de sua igreja, principalmente se você é líder ou faz parte do ministério da Igreja.
3. Lembre-se que cada família e cada igreja têm seu padrão de ensino e formas de código de ética e disciplina bem delineadas e definidas. O que numa família ou Igreja é permitido, em outra, pode não ser.
4. Para usar tatuagem é necessário usar o equilíbrio, bom senso e consciência cristã. Não a use em lugares do corpo que mostre partes intimas ou que exprima qualquer idéia de vulgaridade ou sensualidade. Veja se o desenho não tem a ver com demônios, deuses pagãos ou se são apologias à pornografia, à violência e ao esoterismo.
5. Tatuagem é uma marca para toda a vida, portanto se você vai se tatuar faça bem feito, escolhendo o desenho adequado que expresse o belo e exalte a Deus. Procure um profissional que reproduza o desenho sem deturpá-lo.
6. Veja bem se essa decisão não vai deixá-lo numa situação difícil no seu emprego, no local de seu trabalho, no relacionamento com seu patrão e com os colegas de trabalho. Na sociedade em que vivemos, as vezes uma simples tatuagem gera preconceitos, e pode até custar o seu emprego.
CONCLUSÃO: Penso que o evangelho de alguns se tornou muitíssimo frágil, quase um paganismo dualista esotérico, por entenderem que uma simples tatuagem venha a ser porta para entrada de demônios. Outros dizem, influenciados por pressupostos da idade Média, que é a marca da besta. Outros asseveram que fazer tatuagens é profanar o templo do Espírito Santo. Essa fragilidade de fé gera um evangelho legalista, que torna a salvação totalmente vulnerável, por entender que pequenas falhas, pecados e deslizes, ou mesmo se distrair, ler um romance, ir ao cinema, buscar cultura, gostar de arte e aplicar um piercing ou uma tatuagem são motivos suficientes para levá-las ao inferno, ou no mínimo, motivo para se desconfiar da espiritualidade delas, pelo simples fato de serem diferentes.
Quem assim crê não conhece as fraquezas peculiares dos servos de Deus que estão abertamente registradas nas Escrituras, suas personalidades diversificadas, não conhecendo a extensão da Graça de Deus e o alcance da Obra de Cristo na cruz do Calvário. Estes, por sua fragilidade de fé, ficam constantemente apavorados por ameaças do inferno, e por nunca terem estudado as Escrituras e se apropriado de Suas promessas, vivem amedrontados, acuados pelos demônios e acossados por seus próprios fantasmas interiores. Oro para que tenham a visão de que quem está em Cristo é trabalhado a cada dia para ser conforme a imagem de Cristo, tendo sido salvo, justificado, santificado e já glorificado aos olhos de Deus (Rm 8:29,30), marcado para a vida, separado e absolutamente protegido por seu precioso sangue (Rm 8:31-39; IITm 4:18) e catapultado para a vida eterna deste antes da fundação do mundo (Mt 25:34; Ef1:4; Ap 17:8).
"- Rev. Manoel do Carmo Filho, foi Pastor presbiteriano desde 1983, onde pastoreou como auxiliar na Igreja Presbiteriana de Manaus, trabalhando com jovens, adolescentes, com louvor e ensino. Desenhista nato, sempre foi fissurado em quadrinhos, chegou a trabalhar como desenhista em agencias de publicidade, e atuava com trabalhos gráficos na Igreja e como freelance. Atualmente desenvolve um trabalho ministerial chamado Abrigo R15, e está liderando um trabalho na àrea de música, com a galera do rock onde tem agregado muita gente do meio, inclusive undergrounds."

8 comentários:

Anônimo disse...

O BENNY HINN è usado por DEUS e tem uma intimidade muito sincera, E ele é um homem de DEUS sim, E você não viu na biblía "ai de quem falar mau do unmgido de DEUS"... A irmã de Moisés falou mau dele e DeUS colocou lebra nela, cuidado com que você fala...

Mirto disse...

Meu nome é Milton, sou pastor e o seu texto me ajudou muito pois estava escrevendo sobre "O Homem Tatuado na Sociedade Contemporane", mostrando a sociedade crista o verdadeiro significado. Não sou contra a tatuagens, pra min o que estraga o ministerio são dogmas e fundamentos na igreja. Indico a vc um livro "A Piedade Pervertida" do autor Ricardo Quadros Gouveia. Se quiser me escrever o meu email é miltonterena@hotmail.com. Na Paz de Cristo. Pastor Milton

Pr. José do Egito disse...

Ola, Mirian! Tomei a liberdade de postar dois artigos retirados de seu blog, postei-o no www.brasilmetodista.ning.com. Um deles é sobre superstições no meio evangélico, postei-o citando fontes, mas com uma nota introdutória. Agora postei este sobre tatuagens. Se houver problemas, entre em contato comigo: przedoegito@gmail.com e retirarei os posts.

Que Deus permanela a abençoá-la.

diana disse...

Pr. meu nome é Diana sou da comunidade Cristã Min. Vida em Anchieta Rio de janeiro. Minha igreja é uma igreja "liberal" porém a cerca da tatuagem, capoeira, homeopatia entre outras coisas é um pouco tradicionalista. Sempre tive vontade de fazer uma tatuagem(yeshua hamashia NO DORSO)depois que ouvi um testemunho do Pr caju sobre a igreja Caverna de adulão decidi fazer a tal tatuagem e se nao fosse esse testemunho, com certeza seria essa matéria que o Sr postou ja enviei para algumas pessoas e pesso ao Senhor que renove a mente dos cristãos e que abram os olhos pelo que esta acontecendo pelo mundo. Muito obrigada amado e que Deus o abençoe, SHALON!!!!!!

J C Cavalcante disse...

Não sou cristão ou professo qualquer tipo de religião, não creio no Deus feito a imagem do homem. Se Deus é o princípio de tudo, logo tudo vem dele. Se Deus é perfeição, logo, dele (Deus), não sairia nada imperfeito, incluindo ai, inveja, egoísmo e outros tantos sentimentos que, segundo a Bíblia, causaram o “pecado”. Acredito no equilíbrio do universo, em uma força superior, mas não a personifico, imagino seu retrato, tão pouco adoro ou sigo com fé. Para existir o feio é preciso que exista o belo, entendo que o belo para mim poderá, perfeitamente se o feio para outro. Temos sim que respeitar o outro da mesma forma que gostaríamos que nos respeitasse. Não posso julgar os atos e fatos sem conhecer o motivo. Uma manifestação artística, seja ela qual for, respeitando-se direitos alheios jamais deverá passar por algum tipo de censura, se ela existe, partiu do coração da perfeição, portanto, perfeita. Assunto longo demais para se esgotar em tão poucas linhas.

yurikateivas disse...

A Paz do Senhor Jesus seja com você.

Eu li o seu texto e gostaria de dizer duas coisas sobre a sua argumentação.
O primeiro ponto é o seguinte: A letra tav "ת" (ou tau) do hebraico não me parece muito semelhante a uma cruz. Talvez o idioma de referencia seja o aramaico.
O outro ponto, mais importante, é o seguinte: Quando foi usado como argumentação o trecho da carta de Paulo aos coríntios (II Co 3: 3) este texto foi usado fora do contexto original. Os primeiros cristãos tinham o costume de receber um novo líder em sua igreja com uma carta de recomendação (I Co 16), Paulo afirma que não precisa de tal carta (II Co 3: 1) pois os próprios coríntios são a carta. Os coríntios são frutos do trabalho de Paulo e por isso são uma prova viva de seu apostolado. A tinta sobre o papel tem menor importância que o testemunho de vida dos cristãos em Corinto. O texto de Gálatas 6: 17 é a conclusão dos versículos anteriores, em que Paulo diz que não é importante trazer uma marca no corpo (circuncisão) para ser Filho de Deus, mas uma marca no coração (ser uma nova criatura). As marcas de Cristo que Paulo trazia em seu corpo eram fruto da perseguição porque em II Co 11 ele afirma que por cinco ocasiões foi açoitado 39 vezes, por três vezes apanhou de vara e outra vez foi apedrejado. Com certeza ele carregava marcas que provavam que ele era cristão.
Por fim, eu gostaria de dizer que admiro muito as igrejas que trabalham para salvar do pecado jovens de tribos urbanas. Mas creio que a tatuagem mais importante não é aquela que pode ser vista pelas outras pessoas, mas a marca do sangue do Cordeiro no coração dos filhos de Deus. Esta não pode ser vista, mas é facilmente percebida.
Um abraço, e que Deus nos dê cada dia mais sabedoria para O servirmos como Ele deseja.

yurikateivas disse...

A Paz do Senhor Jesus seja com você.

Eu li o seu texto e gostaria de dizer duas coisas sobre a sua argumentação.
O primeiro ponto é o seguinte: A letra tav "ת" (ou tau) do hebraico não me parece muito semelhante a uma cruz. Talvez o idioma de referencia seja o aramaico.
O outro ponto, mais importante, é o seguinte: Quando foi usado como argumentação o trecho da carta de Paulo aos coríntios (II Co 3: 3) este texto foi usado fora do contexto original. Os primeiros cristãos tinham o costume de receber um novo líder em sua igreja com uma carta de recomendação (I Co 16), Paulo afirma que não precisa de tal carta (II Co 3: 1) pois os próprios coríntios são a carta. Os coríntios são frutos do trabalho de Paulo e por isso são uma prova viva de seu apostolado. A tinta sobre o papel tem menor importância que o testemunho de vida dos cristãos em Corinto. O texto de Gálatas 6: 17 é a conclusão dos versículos anteriores, em que Paulo diz que não é importante trazer uma marca no corpo (circuncisão) para ser Filho de Deus, mas uma marca no coração (ser uma nova criatura). As marcas de Cristo que Paulo trazia em seu corpo eram fruto da perseguição porque em II Co 11 ele afirma que por cinco ocasiões foi açoitado 39 vezes, por três vezes apanhou de vara e outra vez foi apedrejado. Com certeza ele carregava marcas que provavam que ele era cristão.
Por fim, eu gostaria de dizer que admiro muito as igrejas que trabalham para salvar do pecado jovens de tribos urbanas. Mas creio que a tatuagem mais importante não é aquela que pode ser vista pelas outras pessoas, mas a marca do sangue do Cordeiro no coração dos filhos de Deus. Esta não pode ser vista, mas é facilmente percebida.
Um abraço, e que Deus nos dê cada dia mais sabedoria para O servirmos como Ele deseja.

Emanoel Ezaquiel disse...

J C Cavalcante
nisso mano, vc esquece que na palavra de Deus (biblia) existe o livre abitrio, o qual Deus deu a todos, crendo ou não nele, entaum livre arbitrio Deus nós deu, entaum escolhemos ser: ivejossos, egoistas e nós levarmos ao "pecado" mano, Deus não deixa de ser perfeito, somos nós que dixamos essa escencia...
...por tanto a culpa do pecado é nossa e não d Deus, Deus ´perfeito sim medite nisso mesmo sm querer crer... que Deus te abençoe mano, ah vc e toda sua familia...